Já fazia algum tempo que tava querendo escrever algo, mas não sabia o quê. Havia o desejo, mas faltava a iniciativa, a motivação, o conteúdo… E sobrava a preguiça. Até que agora há pouco, em meio a uma boa conversa com minha querida amiga Ana, eis que surge! Por que escrevo? A Ana tava falando que ela não escreve pra ser entendida, que escreve de uma maneira meio desordenada e maluca, mas que isso é pra ajudar ela a se entender melhor… Eu, por outro lado, escrevo tudo muito explicadinho e detalhado, claro, mas defendo que, apesar disso, não escrevo buscando ser entendido não. Acho que o “ser entendido” é um meio, mas não o fim em si. Escrevo para dividir, e para multiplicar. Dividir para multiplicar. Escrevo para dividir com as pessoas coisas bonitas ou interessantes que vivencio, sentimentos, fatos marcantes, e muitas outras coisas… Enfim, para dividir com elas algo do que eu sou… E esse dividir, esse partilhar de mim mesmo, é para que essas pessoas também se sintam motivadas a dividir algo de si mesmas, e assim se faz a multiplicação da divisão… E por quê? Eu sinto que uma Alegria me preenche quando divido algo de mim… Me preenche tanto, que simplesmente não cabe só em mim… Também quero que o máximo possível de pessoas possam ter a Alegria de ser preenchidos desse jeito, ou de algum outro jeito parecido… Sei lá… =)