Aqui na IBM o prédio tem duas saídas principais… tem um corredor gigante que vai de uma porta à outra, reto. Cada porta dá pra um pátio onde geralmente a gente pega os ônibus fretados pra ir pra casa (ou pra qualquer outro lugar). De um lado ficam os ônibus pares, e do outro os ímpares (as linhas são numeradas). O que eu pego pra ir pra casa é o 18 (portanto, par), que fica do lado oposto ao que o Sol se põe (portanto, leste). Mas sempre que venho pra cá de carro, e nos últimos dias aconteceu umas 2 ou 3 vezes, eu saio pela porta dos ímpares, pois o estacionamento dos carros fica desse lado. Agora que está findo o horário de verão, o Sol está se pondo exatamente na hora que eu saio daqui (18h).

Então, sempre que venho de carro, na hora que estou saindo daqui, sou agraciado com a dádiva de contemplar um pôr-do-sol. E não sei se é só coincidência (acredito que não), mas todas as vezes que consigo me lembrar que isso aconteceu, o pôr-do-sol é maravilhosamente lindo e esplendoroso. Quisera eu ter sempre comigo uma boa máquina fotográfica, pra não deixar coisas como essa passarem em branco… Se bem que, na verdade, nunca passam… Sempre deixam marcas profundas na gente. Você olha, olha, e não se cansa de olhar… de contemplar… olhar com amor! E aparece tanta coisa bonita dentro da gente… Como é bom!!!

Outro dia (ontem, eu acho) tava indo pra Polícia Federal pra renovar meu passaporte, e no caminho passei por uma árvorezinha linda, toda florida, com flores cor-de-rosa, um pouco acima do médio (numa escala onde o claro tá embaixo e o escuro em cima). Toda carregada, e os galhos bem regulares, com a copa formando meio que uma bola estilizada, bonita… Ainda vou ver se pego emprestada a máquina do Helder e vou lá só pra tirar uma foto dela, tomara que ainda esteja florida! São essas pequeninas coisas, que poderiam muito bem passar desapercebidas, que fazem a nossa vida mais colorida e mais alegre… mais Vida! =)

.

O Sol que se põe
é a mesa que está posta
convidando os ávidos e famintos
ao banquete das cores e das alegrias

.

(acabei de escrever isso,
até que ficou bom, né?)

.

Here at IBM there are two main exists… There is a giant hallway that goes from one door to the other, straight. Each door takes to a parking lot where we take the buses to go home (or to any other place). On one side there are the even buses, on the other one there are the odd buses (the itineraries are numbered). The one I take to go home is the 18 (therefore, even), which is on the opposite side of where the Sun sets (therefore, East). But everytime I come here by car, and on the last few days it happened 2 or 3 times, I go out through the door of the odd buses, because the cars’ parking lot is on that side too. Now that the daylight saving time is over, the Sun is setting exactly the time I leave here (18h).

So, everytime I come by car, at the time I am leaving, I am awarded with the gift of contemplating a sunset. And I don’t know if it’s just coincidence (I believe not), but all the times that I can remember this happened, the sunset was just wonderfuly beautiful and splendorous!… I wish I had always with me a good camera, not to let these things go by… In fact, they never do… They always leave deep marks in us. You look, you look, and you just can’t stop looking… contemplating… looking with love! And so many beautiful things appear inside of us… How good it is!!!

Some other day (yesterday, I guess) I was going to the Federal Police to renew my passport, and on my way there I passed by a beautiful little tree, all flowery, with pink flowers, a little above medium (in a scale where light pink is on the bottom, and dark pink is on top). All loaded with flowers, with very regular branches, forming kind of a stylish ball, beautiful… Some day I’ll borrow Helder’s (my brother) camera and I’ll go there just to take a picture of it, I hope it will still be flowery! These tiny little things, that could very well go unnoticed, make your lives more colorful and more joyful… more Life! =)

.

The Sun that sets
is the table which is set
inviting the eager and the hunger
to the feast of colors and joys

.

(I’ve just written this, I think
it looks good, doesn’t it?)