Tava ficando com saudades de escrever aqui já… Hoje de manhã eu tava vindo pra Unicamp, resolver umas coisas, e reparei num negócio bem interessante. Na avenida 2, pertinho do Aulus (restaurante), tem uma calçada com umas placas de concreto, que depois de um tempo eu comecei a chamar de “medidor de estresse”. Quando eu tô com pressa, eu acho um saco passar por essa calçada, e acabo indo pela rua mesmo. O que acontece é que as placas de concreto são pouco espaçadas, e não consigo acertar um passo em cada placa, ou seja: acabo pisando um pé no concreto, outro na terra, outro no meio dos dois, é uma bagunça! Isso me lembra um pouco o filme Melhor é impossível, com o Jack Nicholson e a Helen Hunt. Mas outra coisa muito engraçada acontece quando eu tô “tranqüilo”… As coisas se encaixam perfeitamente! Além disso, eu percebo que, quando eu tô com pressa, estou completamente desligado de tudo, pensando no que eu tenho que fazer, que dar conta, nos problemas, etc. E quando tô na paz, andando um passo por placa da calçada, estou ligado em tudo, nas coisas pequeninas que fazem a nossa vida mais alegre e cheia de … vida!